You are currently viewing Começar de Novo

Começar de Novo

Começar de Novo não é pedir perdão. Começar de Novo significa mudar a sua mente e o seu coração, transformar a ignorância que provocou ações erradas do corpo, da fala e da mente, e ajudá-lo a cultivar a sua mente de amor. A sua vergonha e culpa vão desaparecer e começará a experimentar a alegria de estar vivo. Todos os erros surgem na mente. É através da mente que os erros podem desaparecer.

Em Plum Village, praticamos uma cerimónia de Começar de Novo todas as semanas. Todos se sentam em círculo com um vaso de flores frescas no centro, e acompanhamos a nossa respiração enquanto esperamos o facilitador começar.

A cerimónia tem três partes: regar as flores, expressar arrependimentos e expressar mágoas e dificuldades. Esta prática pode evitar o aumento de sentimentos de mágoa ao longo das semanas e ajuda a tornar a situação segura para todos na comunidade.

Começamos por regar as flores. Quando alguém está pronto para falar, junta as palmas das mãos e os outros juntam as palmas para mostrar que tem o direito de falar. Então a pessoa levanta-se, caminha lentamente até à flor, pega no vaso nas mãos e volta ao seu lugar. Quando ela fala, as suas palavras refletem o frescor e a beleza da flor que está nas suas mãos.

Durante a rega das flores, cada orador reconhece as qualidades saudáveis ​​e maravilhosas dos outros. Não é lisonja; falamos sempre a verdade. Toda a gente tem alguns pontos fortes que podem ser vistos com consciência. Ninguém pode interromper quem está a segurar a flor. Tem todo o tempo que precisar e todos os outros praticam a escuta profunda.

Ao terminar de falar, ela levanta-se e lentamente devolve o vaso ao centro da sala.

Na segunda parte da cerimónia, expressamos arrependimento por tudo o que fizemos para magoar outras pessoas. Basta uma frase impensada para magoar alguém. A cerimónia de Começar de Novo é uma oportunidade para relembrarmos algum arrependimento do início da semana e desfazê-lo.

Na terceira parte da cerimónia, expressamos as formas como os outros nos magoaram. O discurso amoroso é crucial. Queremos curar a comunidade, não prejudicá-la. Falamos francamente, mas não queremos ser destrutivos. A meditação da escuta é uma parte importante da prática. Quando nos sentamos entre um círculo de amigos que praticam a escuta profunda, a nossa fala torna-se mais bonita e mais construtiva. Nunca culpamos ou discutimos.

A escuta compassiva é crucial. Escutamos com a disposição de aliviar o sofrimento da outra pessoa, não para julgá-la ou discutir com ela. Ouvimos com toda a nossa atenção. Mesmo que ouçamos algo que não seja verdade, continuamos a ouvir profundamente para que a outra pessoa possa expressar a sua dor e libertar as tensões dentro de si. Se respondermos ou corrigirmos, a prática não dará frutos. Nós apenas ouvimos. Se precisarmos dizer à outra pessoa que a percepção dela não foi correta, podemos fazer isso alguns dias depois, de forma privada e calma. Então, na próxima sessão Começar de Novo, ela poderá ser a pessoa que retificará o erro e não teremos que dizer nada. Encerramos a cerimónia com uma música ou dando as mãos a todos da roda e respirando por um minuto. Às vezes terminamos com a meditação do abraço.

A meditação do abraço é uma prática que inventei. Em 1966, uma poeta levou-me ao aeroporto de Atlanta e perguntou: “Pode-se abraçar um monge budista?” No meu país não estamos habituados a expressar-nos dessa forma, mas pensei: “Sou um professor Zen. Não deve ser problema para mim fazer isso.” Então eu disse: “Por que não?” e ela abraçou-me. Mas eu estava bastante rígido. Enquanto estava no avião, decidi que se quisesse trabalhar com amigos no Ocidente, teria que aprender a cultura do Ocidente, então inventei a meditação do abraço.

A meditação do abraço é uma combinação do Oriente e do Ocidente. De acordo com a prática, tem que abraçar de verdade a pessoa que está a abraçar. Tem que torná-la muito real nos seus braços, não de uma forma superficial, dando palmadinhas nas costas dela para fingir que está ali, mas respirando conscientemente e abraçando com todo o corpo, mente e coração. A meditação do abraço é uma prática de atenção plena. “Inspirando, sei que esta pessoa querida está nos meus braços, viva. Expirando, ela é tão preciosa para mim.” Se respirar profundamente assim, segurando a pessoa que ama, a energia do cuidado, do amor e da atenção plena penetrará nessa pessoa e ela será nutrida e florescerá como uma flor.

Num retiro para psicoterapeutas no Colorado, praticámos a meditação do abraço, e um participante do retiro, quando regressou a casa, em Filadélfia, abraçou a sua esposa no aeroporto de uma forma que nunca a tinha abraçado antes. Para estar realmente presente, só precisa respirar atentamente e, de repente, ambos se tornam reais. Pode ser um dos melhores momentos da sua vida.

Após a cerimónia de Começar de Novo, todos na comunidade se sentem leves e aliviados, mesmo que tenhamos dado apenas passos preliminares em direção à cura. Temos confiança de que, tendo começado, podemos continuar. Esta prática remonta à época do Buda, quando comunidades de monges e freiras praticavam o Começar de Novo na véspera de cada lua cheia e lua nova. Espero que pratique Começar de Novo na sua própria família todas as semanas.

de Teachings on Love, de Thich Nhat Hanh

Deixe um comentário